Páginas

06 setembro 2011

Guarda Municipal do Rio de Janeiro - Choque de Ordem


RJ: coronel promete tolerância zero com abusos na Guarda Municipal

Na véspera da chegada do choque de ordem 24 horas no Centro, o coronel Lima Castro, inspetor-geral da Guarda Municipal, prometeu ontem que a ordem também será instalada na corporação. Ele definiu o corregedor como "linha dura" e convoca a população a reunir provas e denunciar a atuação dos agentes numa espécie de disque-denúncia. Um guarda foi afastado após agredir violentamente um pedestre sexta-feira, no Centro, durante confronto com camelôs. Graças às imagens de vídeo obtidas por O DIA, ele foi afastado das ruas no dia seguinte.
Há quatro meses no comando da Guarda, Lima Castro promete fazer uma faxina na instituição. "Não há interesse nenhum que pessoas que não mereçam usar o nosso uniforme o vistam. Tirar quem não age corretamente não é uma questão só de querer, é obrigação", decreta ele, que lembra que a corrupção é uma via de mão dupla. "Corrupto é quem aceita e quem oferece", explica.
Um dia após o conflito que parou os arredores do camelódromo da Rua Uruguaiana, ambulantes se queixaram que alguns guardas cobram propina para deixar que os ilegais montem suas barracas. "Quanto mais denuncio, mais eles atacam. Perdi R$ 2 mil por causa da confusão. Já fui na Corregedoria da Guarda, tenho mais de oito ofícios e não tomam nenhuma providência. Para eles é vantagem ter camelô na rua porque eles ganham dinheiro", afirma o ambulante Pablo Rodrigues.
Omissão de socorro é investigada
Outra irregularidade flagrada pelo vídeo divulgado por O DIA está sob investigação. Após apanhar de dois guardas - um deles, já afastado -, pessoas pedem que o homem ensanguentado seja socorrido por carro da corporação. Em vão. "Some daqui, some daqui", diz o agente.
A denúncia de cobrança de propina é recorrente. "Vem uns e recolhem o dinheiro e, depois, vem outros dando porrada.Existe um esquemão", reclama o ambulante Robson Maciel. Em um dos vídeos do conflito de sexta, pessoas do alto de um prédio atiram moedas nos guardas, em uma referência à extorsão.
"Eu vi guarda pegar paralelepípedo e jogar dentro do carro para dizer que foi o pessoal na rua que tacou nele", conta a corretora Regina Lacerda, que viu a cena de prédio onde trabalha.
"Se alguém tiver vídeos, nos procure", diz Cel. Lima Castro, inspetor-geral da Guarda Municipal
Para tentar evitar novos episódios como o de sexta-feira, o coronel Lima Castro quer agilizar os processos administrativos contra guardas que cometem irregularidades.
O DIA - O que as pessoas devem fazer para denunciar um agente que agiu de forma ilegal?
Coronel Lima Castro - A gente sempre ouve histórias, mas, para denunciar um guarda municipal que cometeu um ilícito, a pessoa precisa ter provas. Se alguém tiver vídeos ou fotos, nos procure. O guarda que fez isso responderá um processo e, caso provada a sua culpa, ele será expulso da corporação.
O DIA - Como age a Corregedoria da Guarda Municipal?
Coronel Lima Castro Estou há 4 meses no cargo e trouxe o cel. Carlos Rodrigues, que era da Corregedoria da PM, para ajudar nas investigações. Ele é linha dura, mas não arbitrário. Ele tem se debruçado sobre o acúmulo de processos para que a gente possa agilizá-los. Temos interesse total em investigar e acelerar esses processos, que são lentos por questões de burocracia.
O DIA - O que acontecerá com esses guardas que respondem por excessos ou desvio de conduta?
Coronel Lima Castro - As punições começam de uma simples advertência até a expulsão. Eles vão responder disciplinarmente e constatando no inquérito que houve erro, vamos entregar para a delegacia da área, a quem cabe apurar o crime.
O DIA - Onde serão as próximas Unidades de Ordem Públicas?
Coronel Lima Castro - Até o fim do ano vamos implantar no Leblon, Ipanema e Copacabana. Ainda vamos fazer o recorte, mas, a princípio, a orla também será incluída. Avenida Rio Branco terá choque de ordem 24 horas Hoje promete ser um dia tenso no Centro do Rio. Setenta ruas vão receber um choque de ordem permanente para coibir ambulantes sem licença, estacionamento fora de locais permitidos e gatos de luz, entre outras infrações. Um dos alvos dessa ação é a Avenida Rio Branco. Arte: O Dia Só da Guarda haverá 60 agentes que trabalharão equipados com um smartphone. Eles enviarão fotos e vídeos das irregularidades para uma central de operações que repassará o problema para a instituição competente. Mas eles não vão vasculhar os arredores da Rua Uruguaiana. Segundo Lima Castro, esta área tem muitos problemas e será melhor estudada antes de receber uma Unidade de Ordem Pública (UOP).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pela sua contribuição.
Inspetor Frederico

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com