Páginas

01 fevereiro 2011

Famílias são retiradas de invasão no Cachoeira


Por: Leonardo Coleto
Cerca de 30 pessoas que invadiram um terreno da prefeitura na Rua Ovídio Garcez, no bairro Cachoeira, em Curitiba, durante o final de semana passado, foram retiradas na tarde de ontem por equipes da prefeitura e da Guarda Municipal de Curitiba. Eles haviam cortado aproximadamente 100 árvores (sendo dez de grande porte) da área.

De acordo com os envolvidos, que não quiseram se identificar, a invasão ocorreu na última semana, quando a região em que moram, próxima ao local invadido, foi atingida por fortes chuvas.
“Estamos cansados da mesma situação. Sempre que chove um pouco mais forte nossas casas ficam alagadas. Pedimos ajuda para a prefeitura e ouvimos a promessa de que uma resposta viria até segunda-feira pela manhã. Como nada aconteceu até o momento combinado, resolvemos dar continuidade”, afirmou um dos invasores.

Segundo eles, a área em que vivem é bastante violenta e frequentada por criminosos. “Já vimos muita coisa ruim aqui. As mulheres têm medo de estupro quando voltam mais tarde do trabalho. Como a área está desocupada, decidimos seguir com o movimento”, disse outro invasor que não quis ser identificado.
No início da tarde de ontem, quando expirou o prazo dado pela prefeitura, os invasores continuavam a preparação do terreno. Eles dividiram a área em lotes de 150 metros quadrados.

Gritos

A invasão, que estava acontecendo no terreno vizinho a um condomínio fechado, paralelo à Rua Ovídio Garcez, preocupa moradores. “Durante a madrugada de sexta-feira para sábado ouvimos diversos gritos provenientes do terreno. Ficamos preocupados, pois a região é violenta”, disse o morador Ciro José Albano.
Segundo ele, além de cortarem árvores, os invasores colocaram fogo em alguns pontos do terreno. “Ligamos para vários órgãos públicos, mas nenhum deles nos atendeu. A própria Guarda Municipal nos disse que não poderia enviar ninguém até lá. Isso é um absurdo”, desabafou.

Retirada

Por volta das 15h30 de ontem, equipes da prefeitura e da Guarda Municipal chegaram ao local invadido. Segundo a prefeitura de Curitiba, foi nesse momento que a Guarda Municipal e o Grupo de Operações Especiais (GOE), retiraram, de forma pacífica, as famílias da região.

Sobre os alagamentos, a prefeitura disse que um proprietário vizinho à área construiu um muro irregular que estaria causando o problema. O morador foi notificado e deverá providenciar a destruição do muro.
Hoje, uma equipe da Fundação de Ação Social (FAS) vai conversar com as famílias e procurar uma forma de ajudá-las. Sobre o terreno, a prefeitura disse que no local será construído um Horto Municipal.
Fonte: 






Fotos: Daniel Caron

Um comentário:

  1. Eu sou um morador do condominio e sou a favor da invasão,Pois enquanto nós aqui dormimos em sabrados,o povo que tem renda mais baixa dorme no meo da água.Acho que a prefeitura deveria tomar providencias para ajudar essas pessoas...
    É fascil criticar mas para dar uma ajuda ninguem c oferece.
    Espero o nosso governador de um jeito na vida destas pessoas.
    E esse tal de Ciro espero que ele nunca tenha que passar pela mesma situação umilhante que estas pessoas estão passando hoje

    ResponderExcluir

Muito obrigado pela sua contribuição.
Inspetor Frederico

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com