Páginas

03 dezembro 2011

Atletiba terá o maior esquema de segurança já montado no Paraná


Geraldo Bubniak - 02/12/2011 às 19h44min



O Atletiba do próximo domingo (04) terá o maior de esquema de segurança já montado pela Polícia Militar. Serão aplicados cerca de 1,5 mil profissionais de segurança pública sendo 1,3 mil somente da Polícia Militar. O restante do contingente é composto por integrantes da Guarda Municipal, além de 60 policiais civis no papel de polícia judiciária. A coordenação da “Operação Atletiba” está sob a responsabilidade do 1° Comando Regional da Polícia Militar (1° CRPM), com suas unidades. Duas Aeronaves do Grupamento Aéreo (GRAER) também farão patrulhamento. 


Nesta quinta-feira (1°), às 15h, foi realizada uma reunião no Quartel do Comando Geral, com representantes dos clubes Coritiba e Atlético paranaenses, além do Ministério Público, da Federação paranaense de Futebol, Defesa do Consumidor, Guarda Municipal, Fiscalização Municipal e outros órgãos direta ou indiretamente envolvidos com o Atletiba deste fim de semana, que será realizado às 17h do domingo, na Arena da baixada – Estádio Joaquim Américo. 



Do total de policiais militares, 500 atuarão somente no estádio, o restante será distribuído nos pontos críticos de Curitiba e Região metropolitana como nas proximidades de terminais e estações tubos, áreas comerciais, bares, entre outros locais que aglomeram pessoas em situações como esta. A Ação Integrada de Fiscalização (AIFU) também realizará fiscalização junto aos bares e restaurantes. 



O secretário estadual da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César, disse ter certeza que as torcidas saberão compreender a importância de se manter a paz e a tranquilidade antes e depois do jogo, para dar um exemplo ao país e ao mundo que Curitiba está apta a receber a Copa de 2014 e grandes eventos esportivos. “Além disso, precisamos sempre nos lembrar que o futebol é apaixonante, mas qualquer que seja o resultado, a vida segue igual no dia seguinte”, afirmou.



De acordo com o Comandante do 1° CRPM, Coronel Ademar Cunha Sobrinho, cerca de 1,3 mil policiais militares no estádio e demais pontos da capital, além de 250 na Região Metropolitana. “Todas nossas ações são no sentido de promover a paz no Atletiba, e estão sendo acompanhadas tanto pelo Poder Judiciário quanto pelo Ministério Público”, ressalta. Na área do estádio o policiamento será aplicado das 13h ao término da partida e nas áreas dos batalhões (restante da cidade e RMC) das 13h as 23 h. 



“Isso não significa que nos outros horários não haverá policiamento, muito pelo contrário a PM estará na rua normalmente, apenas haverá um reforço neste período”, explica Ademar. O Delegado Clóvis Galvão da Polícia Civil disse que toda ocorrência que for oriunda do clássico atletiba será levada ao juizado especial (Jecrim). “Lá a Polícia Civil fará o termo circunstanciado ou flagrante delito, e já encaminha, imediatamente, ao conhecimento do juiz de plantão, que dará a sentença”, disse.



Depois disso, de acordo com o delegado, o juiz passa o resultado da sentença para a Polícia Civil, que fará a fiscalização da aplicação da pena dada. “O cidadão já sai do estádio sentenciado, então ele tem que pensar muito bem na hora de cometer qualquer contravenção ou delito. Existe uma estrutura no estádio, com sala de delegado, de polícia militar e de juiz de direito para cuidar destes casos”, lembra Galvão. 



O plano de segurança prevê um grande perímetro de isolamento das ruas próximas, para evitar que pessoas que não vão ao jogo circulem no local. “As ruas no entorno serão bloqueadas é só podera circular neste perímetro quem estiver de posse do ingresso para o jogo e os moradores, os quais serão identificados, e se necessário serão acompanhados por um policial militar até a residência”, disse o Comandante Ademar. 



Estarão envolvidos no esquema do atletiba os batalhões da capital (12°, 13° e 20° BPMs) – pertencentes ao 1° CRPM, além do 17° Batalhão da Região Metropolitana (17°BPM) do 6° CRPM, e das unidades especializadas (Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran); Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEc); Regimento de Polícia Montada (RPMon); Batalhão de Operações Especiais (BOPE); Companhia de Eventos; Grupamento Aéreo da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP); Academia Policial Militar do guatupê, Diretoria de Apoio Logístico da PM, e AIFU. 



Faz parte do esquema de segurança o monitoramento de terminais de ônibus e pontos estratégicos da cidade, e o uso de cães da Companhia de Cães do BOPE e de cavalos da Polícia Montada, no estádio. “Não queremos criar transtornos, muito pelo contrário, queremos criar comodidade e tranquilidade, para os moradores no entorno do estádio, bem como para o cidadão de bem que vai assistir ao jogo. Queremos apenas evitar que aquele que pensa em ficar bebendo e promovendo a desordem, se aproxime do Estádio”, destaca o coronel. Não haverá venda de ingressos no dia. 



O Comandante da “Operação Atletiba” avaliará durante a partida o momento de liberar as torcidas, bem como qual delas saíra primeiro do estádio; a torcida que saíra depois, deverá ser liberada de 15 a 30 minutos após a primeira. A torcida do Coritiba será escoltada do Alto da glória até a Arena na ida e na volta pela PM. A Polícia Militar também escoltará os times: o Coritiba será acompanhado pela Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM) do 12° BPM, e o Atlético pela ROTAM do 13° BPM do Centro de Treinamento (CT) do Caju, no Umbará até o estádio. 



Bebida
Além disso, juntamente com a Prefeitura Municipal, será feita uma rigorosa fiscalização no entorno do Estádio para que ambulantes sejam retirados do local; inclusive a fiscalização se dará também em relação aos bares locais, os quais poderão vender bebidas, dentro da normalidade. “A fiscalização se dará junto ao torcedor que não entrará embriagado dentro do estádio; se for flagrado neste estádio será encaminhado ao Jecrim”, explica Ademar. 



Torcida
Nenhum tipo de material que seja alusivo às torcidas organizadas será permitido no estádio como bandeiras, mastros, bonés, camiseta, entre outros. Somente faixas de motivação aos clubes serão permitidos. “Quanto à bateria, nenhuma das torcidas poderá utilizá-la”, diz Ademar.



ACORDO – Durante a reunião é que ficaram definidas as estratégias para a segurança do jogo. Os participantes sugeriram e discutiram as questões até o grupo chegar a um consenso do que seria melhor para a população. O presidente da torcida Império do Coritiba Luiz Fernando Correia (Papagaio) disse que há um bom relacionamento com a Polícia Militar, e isso é importante. “Também temos bom relacionamento com o Ministério Público e com a Guarda Municipal”, destacou.



Estas reuniões são sempre importantes, segundo ele, porque podem informar a polícia sobre possíveis locais de confronto, locais onde as torcidas se reúnem e os pontos críticos. Também participou da reunião Julio César Sobota (Julião da Caveira), presidente da Fanáticos do Atlético. “Quero parabenizar a Polícia Militar pela grande movimentação da Polícia Militar. Eu acredito que nenhum outro jogo no Paraná houve um deslocamento tão grande de policiais, e com o apoio da Guarda Municipal e da Polícia Civil”, enfatizou.



Segundo Julião, a reunião foi cordial entre os representantes das torcidas e as autoridades. “Vejo sempre da forma positiva, e se buscarmos os dados estatísticos está comprovado que a atuação forte tem diminuído, e muito, a incidência de violência e de vandalismo na cidade de Curitiba. Isso é resultado do trabalho que realizamos em conjunto com a Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal e Ministério Público”, ressalta.



Bloqueio
No dia do atletiba serão bloqueadas as seguintes ruas:
- Rua Buenos Aires com Avenida Getúlio Vargas (bloqueio na Rua Buenos Aires);
- Rua Buenos Aires com Avenida Getúlio Vargas (bloqueio na Av. Getúlio Vargas);
- Entrada da Praça Afonso Botelho na Av. Getúlio Vargas, vedando acesso de pessoas ao interior da Praça;
- Rua Engenheiro Rebouças com Avenida Brigadeiro Franco (bloqueio na Rua Eng. Rebouças);
- Rua Engenheiro Rebouças com a Rua Dr. Pedro Augusto M. B. Monclaro (bloqueio na Rua Dr. Pedro A. M. B. Monclaro);
- Rua Buenos Aires com a Rua Brasílio Itiberê (bloqueio na Rua Buenos Aires);
- Rua Brasílio Itiberê com a Rua Buenos Aires (bloqueio na Rua Brasílio Itiberê);
- Rua Madre Maria dos Anjos com a Rua Almirante Gonçalves (bloqueio na Rua Madre M. dos Anjos);
- Rua Coronel Dulcídio com a Rua Almirante Gonçalves (bloqueio na Rua Cel. Dulcídio);
- Rua Brasílio Itiberê com a Rua Alferes Ângelo Sampaio (bloqueio na Rua Brasílio Itiberê);
- Rua Petit Carneiro com a Rua Alferes Ângelo Sampaio (bloqueio na Rua Petit Carneiro);
- Rua Pasteur com Av. Iguaçu (bloqueio na Rua Pasteur);
- Rua Coronel Dulcídio com Av. Iguaçu (bloqueio na Rua Coronel Dulcídio);
- Av. Iguaçu com a Rua Maurício Caillet (bloqueio na Rua Maurício Caillet).
O trânsito na Rua Alferes Ângelo Sampaio fluirá normalmente, mas o motorista não poderá virar a esquerda na Avenida Getúlio Vargas. 



Fonte Assessoria de Imprensa - PMPR - Marcia Santos



Siga no twitter @futebolpr 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pela sua contribuição.
Inspetor Frederico

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com