Páginas

20 outubro 2009

Ser segurança em tempos de insegurança: sofrimento psíquico e prazer no trabalho da Guarda Municipal de Porto Alegre - Tatiana Cardoso Baierle

Brilhante trabalho acadêmico, tese de mestrado desenvolvido com muita propriedade e conteúdo pela mestra em Psicologia Social e Institucional - UFRGS, Ma. Tatiana Cardoso Baierle.

RESUMO:

Esta pesquisa busca compreender as implicações da reestruturação da Guarda Municipal de Porto Alegre na produção de subjetividade de seus servidores e o impacto sobre a dinâmica saúde/sofrimento mental de seus trabalhadores. O trabalho foi tomado como eixo norteador; por sua centralidade na vida contemporânea. A posição adotada foi de depositar a ênfase nas vivências cotidianas e nos modos de ser dos trabalhadores; e não nos diagnósticos psicopatológicos. Com esta premissa; a condução da pesquisa foi fundamentada na abordagem da Psicodinâmica do Trabalho; que centra a investigação na normalidade e não na patologia; procurando; reforçando os mecanismos de luta e resistência desenvolvidos pelos trabalhadores; que se traduzem nas estratégias defensivas. A metodologia em Psicodinâmica do Trabalho foi aplica strictu sensu; em suas etapas de desenvolvimento: formação de grupo de pesquisadores; prépesquisa; pesquisa com encontros em grupo; tratamento do material produzido e validação. O grupo de servidores; sobre o qual a pesquisa foi desenvolvida é o que se encontra mais exposto às mudanças que estão ocorrendo na Instituição; assumindo funções de maior visibilidade; risco e exposição. Há intensa mobilização psíquica entre os guardas; provocada pela peculiaridade do lugar que ocupam hoje na sociedade. Por um lado são pressionados pela população e pela gestão da Prefeitura Municipal de Porto Alegre para adotarem uma postura ativa na segurança urbana; por outro lado são premidos pela limitação legal de suas atribuições. O cotidiano do guardas municipais é marcado por imprevistos; por uma extensa jornada de trabalho; pela ausência do prescrito e percebido como um trabalho sem produção concreta. O sofrimento provocado pelo trabalho é amortecido e contrabalanceado pela cooperação mútua; reconhecimento advindo de uma atuação com maior visibilidade e pelo uso da inteligência astuciosa. O atual período da Guarda Municipal é efetivamente um tempo de transição; interfere diretamente na organização do trabalho; na subjetividade e na saúde mental de seus servidores. Para a promoção da saúde mental destes trabalhadores seria importante incrementar os espaços institucionais de reflexão e discussão sobre o papel do guarda municipal hoje na sociedade.
______________________________________
Material completo disponível no site domínio público



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pela sua contribuição.
Inspetor Frederico

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com