Páginas

26 abril 2016

O guarda se chama Angelo Matiero

Autor: José Carlos Fernandes
jcfernandes@gazetadopovo.com.br
10/11/2011



Os efeitos colaterais das rasteiras da vida podem ser, não nessa ordem, o Seproc, uma íngua na virilha, a sovinice ou uma romaria desesperada para Aparecida do Norte. No caso do curitibano Angelo Matiero, os dias ruins fizeram dele um poeta. Um poeta que nem suspeitava ser. Vinha das “Exatas”. Cursara Teleco­­municações no Cefet, Infor­­mática na PUC e ganhava seu pão – pão com frutas cristalizadas, diga-se – dissecando números: era um bem pago analista de sistemas. Rima, só se fosse de software com hardware.
Até que se viu, com a bobeira de quem bate o nariz num poste, sem emprego, sem dinheiro e de farda, assumindo seu posto numa longínqua chácara de recuperação de dependentes químicos. Aos 35 anos e recém-casado, o analista virara guarda municipal. No lugar de tabelas, malucos beleza cantando no bosque: “Oh! Oh! Oh! Seu moço do disco voador, me leve com você, pra onde você for, mas não me deixe aqui, enquanto eu sei que tem tanta estrela por aí...”
Matiero, deprê, quase se juntou ao coro para cantar Raul. Mas, sabe-se lá, preferiu aproveitar a brisa e escrever uns versos regados a Sonho de Valsa. Foi sua estreia literária, mas a turma o saudou como se estivesse lançando uma antologia completa. Tanto que começaram a pedir o poema emprestado para oferecer, como se fosse deles, às esposas e namoradas – uma falcatrua em prol da família.
Não se sabe dos efeitos da overdose lírica sobre aquelas mulheres. Mas no que diz respeito ao autor, não poderia ser melhor. Por causa da poesia, Matiero retomou uma história deixada às traças. Gostara antes das letras do que das contas de vezes. Mal saíra das fraldas e já sabia ler “Omo”, “Doriana” e “Elefante” – o da marca de tomate.
Além do mais, tivera bons exemplos: o pai, Benedito Mon­­­teiro, era homem de imprensa e escritor em segredo. E o filho bem que tentara sair-se aos seus. Aos 16 anos, depois de ter lido Noite na Taverna, de Álvares de Azevedo, deu de imitar o romântico em tísica. Mas, como lhe di­­­ziam, jovem pobre do Pilarzinho tinha de arrumar era emprego, e não sarna para se coçar. A arte ficou para depois, como se sabe, para o dia em que arrumou o emprego que não queria.
Aos fatos – fardado, o arquitímido Matiero começou a ser parado na rua para informes ligeiros – de “roubaram a roupa do varal” e “onde fica a Rua Zibniew Stransky?”. Passou a conhecer gentes e notou que não falavam com ele, mas com uma abstração trajando farda. Bingo – podia observá-las e entendê-las, como cabe a um escritor. A nomeação para ser guarda de escola só melhorou seu ponto de vista. Além das condições propícias para ler de Nietzsche a Rilke, de Vinícius a Leminski nas barbas do expediente, podia finalmente retomar o gosto que lhe foi tirado nos verdes anos.
“O guardinha tá estudando?”, lhe perguntou dia desses uma das aluninhas da Escola Municipal Nimpha Peplow, na Vista Alegre, onde trabalha. Não deixa de ser. Matiero soma 150 textos. E manda bem, o danado, mesmo quando escreve em meio à gritaria do recreio. Ao contrário dos autores aprendizes, demora a dar um verso ou um conto por acabado. Aplica a cada linha os rigores da caserna, mas sem deixar de ser lúdico – influência das crianças com as quais lida das 7h30 às 18 horas.
“Escrever é uma maneira de mostrar quem é o cara vestido de guarda”, me avisa. Sua voz é talhada para as ondas do rádio. Vê-lo lendo para os pequenos no pátio do Nimpha parece mentira, tão bonito é. Nem tive coragem de perguntar se alguma vez ele precisou usar o cacetete. Qual o quê. Não é todo dia que um guarda nos fala sobre o poder da imaginação, indica o melhor caminho para o Centro e ainda deixa a certeza de que nunca vamos esquecer qual é mesmo o seu nome.

Autor: José Carlos Fernandes
Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/colunistas/jose-carlos-fernandes/o-guarda-se-chama-angelo-matiero-99ndweaxoet6w6454z9f0wci6
_________________________________________________________________
Tomamos a liberdade de republicar este artigo de autoria do jornalista José Carlos Fernandes, o qual homenageia o nosso querido irmão de farda Ângelo Matiero Monteiro.
Matiero, ingressou na Guarda Municipal de Curitiba em 10 de dezembro de 2003, trabalhou em diversos postos, na regional de Santa Felicidade.
Amigo querido de todos, sempre procurou usar o bom senso em suas ações.
Recentemente diagnosticado com leucemia, vinha lutando pela vida, sempre com um sorriso nos lábios e um semblante sereno.   
Nesta data, com profundo pesar, registramos o falecimento do nosso poeta de sangue azul marinho.


25 abril 2016

Guarda Municipal de Curitiba - Relatório de Comando



Prefeito Gustavo Fruet e Inspetor Frederico

(Passagem de Comando)


Prezados Guardas Municipais,


Hoje, venho agradecer e me despedir de todos que de alguma forma me apoiaram e ajudaram no transcorrer destes três anos muitas conquistas e sucessos para a Guarda Municipal de Curitiba. Um agradecimento especial a minha Equipe, formada por honrosos profissionais que nunca mediram esforços em prol da coletividade.
Muito conquistado, em tão pouco tempo. Superamos muitas das deficiências acumuladas nos 25 anos de história desta Instituição que vinha se acastelando. Como exemplo, o Plano de Cargos que valoriza efetivamente o tempo de serviço e a trajetória na carreira.
Na minha vida profissional, sempre busquei entender os anseios coletivos desta Corporação. Pela oportunidade que o Prefeito Gustavo Fruet me concedeu, conseguimos edificar muito e plantar muitas sementes, as quais germinarão e os seus frutos, certamente, serão colhidos ao longo da história, sendo os senhores (guardas municipais e munícipes), protagonistas deste legado.
Nunca me desviei dos meus ideais, do meu caminho, apesar das limitações do cargo. Se tivesse que realizar tudo novamente, faria da mesma forma, do mesmo jeito, com a mesma seriedade e profissionalismo.
Tenho plena satisfação de não ter traído nada e nem ninguém. Acreditei. Lutei. Batalhei. Conquistei. Determinadas batalhas venci, outras não sucumbi, e mantive meus valores intactos.
A Guarda Municipal de Curitiba sempre será um dos modelos para demais Guardas Municipais do Brasil que sofrem muito por falta de equipamento, falta de legislação (porte de arma e plano de cargos e salários), estrutura, reconhecimento e principalmente pela falta de liberdade de atuação - autonomia.
Quando comecei a atuar na Guarda Municipal em 1992, usava apenas uniforme, bastão e algemas. Hoje, vejo uma GM diferente e melhor, todos os Guardas têm colete balístico individual, armamento, dois equipamentos menos letais e um a cada seis servidores tem dispositivo elétrico incapacitante.
Por fim, quero desejar a este “Corpo Unicelular”, muito sucesso e sorte nas suas escolhas, porque é das escolhas certas que realmente se conquista algo concreto.

Um Forte Abraço,

Inspetor Frederico.

*
*   *

(Relação de ações realizadas no período de janeiro de 2013 a dezembro de 2015)

- Implantação do Plano de Cargos e Salários onde foi considerado o melhor plano de carreira do Brasil, tendo o impacto na média de até 60% no salário, valorizando o tempo de serviço, trajetória na carreira e titulação superior;
- Criação de lei específica para garantia do Seguro de Vida (Lei n.º 14.753/2015);
- Retirada da anotação de falta ao trabalho dos Guardas Municipais que participaram de greves e paralisações, no período de 2007 a 2012, conforme Decreto nº 747/13;
- Interseção junto a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SESP) em 2014, para o cumprimento do direito de Prisão Especial para servidores da Guarda Municipal de Curitiba;
- Estudo para elaboração do Estatuto da Guarda Municipal de Curitiba, sendo formada uma Comissão Especial pela Portaria nº 45, de 10 de outubro de 2013 (Diário Oficial n.º 197 – 11/10/13);
- Consórcio em andamento com as Guardas Municipais da Região Metropolitana integrando os protocolos de formação e atuação;
- Concurso Público para Carreira da Guarda Municipal de Curitiba, recorde de 26.000 candidatos;
- Convênio com o Ministério da Justiça para acesso de 6% do efetivo para operar o sistema do INFOSEG - Informações de Segurança Pública dos órgãos de fiscalização do Brasil;
- Ação contra a Pichação, aumento do valor da multa (Lei n.º 14.367/13);
- Ação contra a Poluição Sonora, inclusão da Guarda como agente fiscalizador (Lei n.º 10.625/02);
- Solicitação de Convênio com a SMMA para fiscalizar a Poluição Sonora;
- Integração com a Secretaria Municipal de Trânsito (SETRAN) e Secretaria Municipal do Urbanismo (SMU);
- Visibilidade na mídia com mais de 70.000 ocorrências atendidas entre Jan/2013 a Jun/2015;
- Regulamentação da Carteira de Identificação Funcional do Guarda Municipal;
- Regulamentação da Carteira de Identificação Funcional do Guarda Municipal Aposentado;
- Regulamentação do Porte de Arma de Fogo Institucional e Particular;
- Porte de Arma Particular, com direito a registro de até duas armas particulares na sua Carteira de Identificação Funcional;
- Regulamentação das Normas Gerais de Ações para Utilização do Dispositivo Elétrico Incapacitante (SPARK);
- Implantação da “Patrulha Maria da Penha”, sendo a Guarda Municipal de Curitiba precursora no Brasil a nível municipal;
- Estudo para readequação/modernização do Regulamento de Uniformes da Guarda Municipal de Curitiba, sendo formada uma Comissão Especial;
- Implantação da Boina como parte do Uniforme;
- Institucionalização da Medalha de Honra por Tempo de Serviço:
           * Medalha Gralha Azul - Bronze (10 anos);
           * Medalha Falcão Peregrino - Prata (20 anos);
           * Medalha Gavião Real ou Harpia - Ouro (30 anos).
- Institucionalização das Medalhas de Mérito:
* Medalha Barão do Cerro Azul – titulo Medalha de Sangue;
* Medalha Marechal Zenóbio da Costa - titulo Mérito Policial;
* Medalha Borges de Macedo – titulo de Amigo da Guarda.
- Institucionalização do Canil da Guarda Municipal – GOC K-9 (Grupo de Operações com Cães);
- Construção do Canil da Guarda Municipal (Parque dos Tropeiros);
- Fortalecimento do Grupo Tático de Motos – GTM, com implantação do curso Técnico de Aperfeiçoamento Específico;
- Sede própria para o Grupo Tático de Motos – GTM;
- Operacionalização da Proteção Animal;
- Seleção para o ingresso no Grupo de Operações Especiais (GOE), com imparcialidade e curso de Formação Específico, em parceria com as Forças Armadas;
- Efetivação do Grupo de Operações Especiais (GOE) 24 horas;
- Descentralização das Viaturas de área nos Núcleos;
- Implantação das viaturas de Patrulhamento Tático nos Núcleos Regionais, contando com o terceiro homem com uso da calibre 12, com turno de trabalho diferenciado;
- Implantação das viaturas de Patrulhamento Tático GOC K-9, com terceiro homem condutor de campo;
- Módulo Móvel Itinerante (MMI) - uma das primeiras medidas adotadas como Polícia Comunitária – Polícia Cidadã, fortalecendo o vínculo da Guarda Municipal com a população;
- Regulamentação em Decreto da “Guarda Municipal Mirim”;
- Regulamentação em Decreto do Programa “Conhecer para Prevenir”;
- Institucionalização da Capelania da Guarda Municipal;
- Regulamentação das Insígnias de Graduação:
* Guarda Municipal de 1ª, 2ª e 3ª Classe;
* Supervisor de 1ª, 2ª e 3ª Classe;
* Inspetor de 1ª, 2ª e 3ª Classe.
- Implantação das Divisas de Graduação no ombro, como forma de reconhecimento de que todos os profissionais da carreira são oficiais de segurança pública municipal;
- Portaria em conjunto com Recursos Humanos sobre Porte de Arma e Saúde Ocupacional;
- Aquisição de 187 Pistolas, Calibre 380 para os Guardas Municipais, no valor de R$ 389.708,00.
- Em andamento aquisição de mais 420 pistolas para o ano de 2016, no valor de R$ 1.533.000,00.
- Aquisição de 176 SPARKS – dispositivo elétrico incapacitante, no valor de R$ 548.549,60;
- Aquisição de Rádio Comunicação Digital com frequência da área de Segurança Pública, investimento de R$ 2.891.950,00, sendo a Guarda Municipal de Curitiba mais uma vez vanguarda no Paraná;
- Aquisição de uma Viatura em 2014 para a “Patrulha Maria da Penha”, no valor de R$ 64.950,60.
- Em processo de compra de mais 2 (duas) viaturas exclusivas para a patrulha;
- Em processo de aquisição de 3 (três) caminhonetes para a Gerência de Operações Especiais - GOE;
- Aquisição de aparelhos de Decibelímetro e auferidos os antigos, para atuar contra a Poluição Sonora;
- Aquisição de Uniformes: calça, camisa, botina, quepe, jaqueta, entre outros, no valor de R$ 1.316.944,93;
- Aquisição de Mobiliário do Centro de Operações (CODS), no valor de R$ 34.915,00;
- Aquisição de Um veículo para a Ouvidoria Móvel é um automóvel para Corregedoria da Guarda Municipal de Curitiba, além do processo de fortalecimento e reaparelhamento de ambas as unidades, no valor de R$ 184.880,00;
- Aquisição de material de informática e insumos no valor de R$ 59.535,02;
- Aquisição de material de Gênero Alimentício para cursos e para os módulos móveis da GMC, no valor de R$ 70.294,08;
- Aquisição de Coletes Balísticos para a Guarda Municipal, no valor de R$ 185.839,72;
- Aquisição de material e equipamentos para os Programas Sociais (Guarda Municipal Mirim - GMM), no valor de R$ 100.706,51;
- Aquisição pela primeira vez de Protetor Solar utilizado pelos Guardas Municipais para proteção dos raios solares (UVA E UVB), no valor de R$ 19.997,12;
- Aquisição de Armamento de Airsoft Elétrica para os profissionais da Guarda Municipal a serem utilizadas em instruções destinadas às seguintes áreas de atuação: uso legal e progressivo da força, abordagens com armas, confronto armado, controle de tumultos, fundamentos do tiro, tiro defensivo, tiro abrigado, tiro embarcado, combate em ambiente confinado, condução/retenção de armamento, defesa pessoal com armas e outras correlatas, no valor de R$ 13.549,00;
- Aquisição de 1.300 Espargidores (spray de gengibre/pimenta) para equipar Guardas Municipais em situações de controle de tumulto, agressões físicas e outras similares, diminuindo a possibilidade de danos físicos ao Guarda Municipal, ao agressor ou a terceiros, conforme especifica a Portaria Interministerial n.º 4.226, de 31 de dezembro de 2010, no valor de R$ 69.000,00;
- Aquisição de material de Controle e Distúrbio (CDC), no valor de R$ 32.000,00;
- Aquisição de Munições e Insumos para recarga, em 2014 no valor de R$ 118.578,00 e em 2015 de R$ 285.156,80, totalizando R$ 380.298,00;
- Aquisição de material de treino e equipamentos de proteção individual para o Canil da Guarda Municipal, no valor de R$ 21.193,83;
- Aquisição de Equipamentos de Informática destinados à reestruturação física e aperfeiçoamento das atuações do Centro de Operações (CODS) e Núcleos Regionais da Guarda Municipal de Curitiba, valor de R$ 66.570,00;
- Aquisição de 8 bicicletas para compor na Ciclopatrulha, no valor de R$ 17.603,44 ;
- Aquisição por doação de 4 Moto Bomba novas, para a Defesa Civil da Guarda Municipal, no valor de R$ 6.080,00;
- Adquiridos por doação 8 revólveres novos, calibre 38;
- Aquisição por doação de 4 bicicletas novas.
- Substituição de 40% da frota veicular (viaturas prefixos “.4” e “.5”);
- Em andamento a reforma da estrutura do Centro de Operações (CODS);
- Em andamento a reforma do Módulo do Parque Barigui;
- Programada a reforma do Módulo do Parque São Lourenço;
- Instalação do Camburão em todas as Viaturas Parati;
- Integração com CCO (Centro de Comando Operacional da URBS), compartilhando 911 câmeras de Videomonitoramento;
- Instalação de 24 câmeras na Praça Rui Barbosa;
- Concluído o estudo sobre a Estrutura Organizacional da Academia da Guarda Municipal em conjunto com o IMAP;
- Iniciado os procedimentos para implantação da futura sede da Academia da Guarda Municipal;
- Concluído o estudo sobre a Reestruturação da SMDS/GMC em parceria com o IMAP;
- Novo designe da Plotagem das viaturas da GMC (operacionais, GOC K-9, GOE);
- Recuperação e transferência do kit “Crack é Possível Vencer”, aguardando apenas a assinatura da Secretaria Nacional de Segurança Pública, contendo 1 microônibus, 2 automóveis, 2 motocicletas, 50 dispositivos elétricos incapacitantes, 150 espargidores de pimenta e 20 câmeras de monitoramento instaladas na região próxima e ao redor da praça Eufrasio Correa.
- Aplicação do Decreto Federal n.º 5.123/2005, para capacitação mínima de 80h para Guardas Municipais, complementando com a Formação Continuada – Estágio de Qualificação Profissional, totalizando mais de 500.000 horas/aula, com docentes sem ônus para a Guarda Municipal e promovendo também, a integração e qualificação das Guardas Municipais da Região Metropolitana;
- Solicitação ao RH para abertura para Procedimento Interno para área de atuação de Supervisor;
- Valorização do Guarda Municipal, do Supervisor e do Inspetor como instrutores e/ou docentes nos cursos de qualificação;
- Realização de diversos Cursos nas mais diferentes áreas, sendo algum deles:
* Preparação para Copa do Mundo 2014 - a Guarda Municipal de Curitiba atuando diretamente no mundial, onde passou por treinamentos de Gerenciamento de Crise, Planejamento Operacional, Policiamento em Estádio de Futebol, Segurança a Dignitários e Escolta, Batedores e Segurança de Dignitários, entre outros;
* Curso sobre Segurança Eletrônica e Videomonitoramento (parceria com CINDACTA – Força Área Brasileira);
* Curso de Acreditação Animal para a Proteção Animal (parceria Secretaria Municipal do Meio Ambiente);
* Curso Patrulha Maria da Penha (parceria com o Tribunal de Justiça, Secretária Municipal Extraordinária da Mulher);
* Curso Técnicas no Apoio de Atividade com Helicópteros em Ocorrências (parceria com Polícia Rodoviária Federal – PRF);
* Curso de capacitação para uso dos Decibelímetros (aparelhos que medem os níveis de pressão sonora), para atuar contra a Poluição Sonora (parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente – SMMA);
* Entre outros...
- I Curso de Liderança e Aperfeiçoamento na área de atuação de Supervisor;
- I Curso de Liderança e Aperfeiçoamento na área de atuação de Inspetor;
- Parceria com a Itaipu Binacional, Aliança Renault-Nissan e Centro Excelência e Inovação (CEIIA) de Portugal, para comodato de 5 veículos Ecoelétricos (modelos diferentes);
- Parceria e integração com Forças Armadas (Exército e Aeronáutica), Polícia Federal, Polícia Civil, ABIN (Agência Brasileira de Inteligência), Ministério Público, Tribunal de Justiça, Polícia Militar, Secretarias Municipais de Curitiba, nas mais diversas áreas de atuação;
- Parceria com a sociedade civil organizada, entre elas a Associação Comercial do Paraná;
- Programas Especiais da Guarda Municipal de Curitiba que tiveram ênfase:
* MMI (Módulo Móvel Itinerante);
* Operação Presença;
* Operação Paz nos Parques;
* Operação Simultânea;
* Operação Paz no Futebol;
* Patrulha Maria da Penha;
* Proteção Animal;
* Cão Amigo;
* Blitz Educativa;
* Busão Seguro;
* Pichação é Crime, Denuncie!;
* Despiche!;
* Guarda Municipal Mirim;
* Teatro de Fantoches;
* Conhecer para Prevenir;
* Cidadão em Guarda.
- I Workshop de Comandantes das Guardas Municipais do Paraná, realizado pela primeira vez na história, reunidos com o objetivo de discutir sobre padronização, formação e qualificação das corporações, devido às novas diretrizes propostas pela Lei Federal n.º 13.022/ 2014, que entre outras providências confere poder de polícia preventiva às guardas municipais, onde elaboram uma Carta de Curitiba, com o resumo das intenções debatidas ao longo do encontro;
- Inserida a Guarda Municipal de Curitiba no Plano Diretor de Curitiba, como sendo a protagonista da Segurança Pública Municipal – Polícia Cidadã, fortalecendo assim sua atuação junto à população.

🚔

  













10 abril 2016

Origem da (minha) Família Rodrigues de Oliveira


https://www.myheritage.com.br/site-family-tree-133186041/frederico


Portugal (1836)

1.º (Geração) - Ângelo Augusto Rodrigues de Oliveira, nascido no ano de 1836, na Província de Trás os Montes* – Portugal. Imigrou para o Brasil em data incerta, possivelmente entre 1850 a 1860, pois no ano de 1864 já era recém-casado com Anna Maria de Jesus.

*Trás-os-Montes: antiga província de Portugal. Tradicionalmente, o seu território é limitado a norte pela Galiza, a leste por Castela e Leão, a oeste pelo rio Tâmega e a sul, pelo rio Douro. Atualmente corresponde parte dos atuais distritos de Vila Real e Bragança.

Oliveira (alentejo 2450 anos Portugal)

Brasil (século XVIII)

A matriarca da família Rodrigues de Oliveira, (D. Anna Maria de Jesus), nasceu no ano de 1837 na Povoação de Nossa Senhora do Carmo de Cambuy, distrito da cidade de Jaguary (atual Camanducaia), Estado de Minas Gerais.
Nos idos de 1860 seus familiares iniciaram a peregrinação rumo aos sertões do Brasil. Primeira cidade que se instalaram foi Butucatu – SP, onde possivelmente Anna Maria de Jesus e Ângelo Augusto Rodrigues de Oliveira, se conheceram, e que posteriormente contraíram núpcias, no ano de 1864.

“Seu Ângelo Augusto, dizem, veio sozinho para o Brasil, ainda rapazola. Pelos idos de 1860 já em Botucatu, em “Cima da Serra”. Terra de gente valente, como toda boca de sertão. Estre Botucatu e Lençóis já afazendados os parentes de sua esposa, Sinhá Ana, desde 1850, pouco mais ou menos, residiam na fazenda da Prata e em parteda do Bosque. Porém ela e seus pais só chegaram em 1860, vindos das Minas Gerais. De Cambuí.” - (Adhemar Rodrigues de Oliveira Filho – Achegas para a História da Família os Ângelos).

O casal com demais parentes de Anna, não se acomodaram nesta região, percorrendo o sul de São Paulo, em sentido ao norte do Paraná. Assim tiveram residência nas cidades de Lençóis Paulista (1864), Avaré (1870), Santa Barbara do Rio Pardo (1870), (Antes São Domingos - atual Águas de Santa Bárbara), Cerqueira César, Piraju (1888) (antigo São Sebastião do Tijuco Preto), Santo Antônio da Platina (1904) e Jacarezinho (1905). Deixando assim semente desta família pelas cidades onde viveram por algum tempo.


 Anna Maria de Jesus
Matriarca da Família Rodrigues de Oliveira


O casal Rodrigues de Oliveira, teve onze filhos, sendo eles: 1. Amélia Rodrigues de Jesus (Amélia do Ubá), 2. José Augusto de Oliveira (Juca Anjo), 3. Joaquim Rodrigues de Oliveira (Joaquim Anjo), 4. Pedro Rodrigues de Oliveira (Pedro Anjo), 5. João Rodrigues de Oliveira (João Anjo), 6. Ezau Rodrigues de Oliveira (Ezau Anjo), 7. Francisca Maria de Jesus, 8. Avelino Rodrigues de Oliveira (Avelino Anjo), 9. Maria Appolinária de Jesus, 10. Antônio Rodrigues de Oliveira (Antônio Anjo), e 11. Theodoro Rodrigues de Oliveira (Theodoro Anjo). Todos os filhos varões eram conhecidos pelo seu nome inicial, acrescido pelo apelido de “Anjo”, em homenagem ao nome abreviado do patriarca da família, “Ângelo”.

Ângelo e D. Anna, passaram os seus últimos anos de vida na cidade de Jacarezinho, no “Ouro Grande, como fazendeiros e comerciantes”. Ângelo Augusto Rodrigues de Oliveira, faleceu em 02/06/1915) e Anna Maria de Jesus, faleceu em 29/05/1914.

1.º (Geração)Ângelo Augusto Rodrigues de Oliveira, (Patriarca), nasceu em 1836, na antiga Província de Trás os Montes (atual -Vila Real) – Portugal, casado com Anna Maria de Jesus.

2.º (Geração)Pedro Rodrigues de Oliveira, (4º filho), nasceu em 31 de janeiro de 1872, na cidade de Águas de Santa Barbara (antiga Freguesia de São Domingos e depois Santa Barbara do Rio Pardo) – SP, casado (1ª Núpcias - 26/01/1889) com Magdalena Maria de Jesus (fal. 28/11/1918), (2ª Núpcias -31/07/1920) Maria Alves Rodrigues (fal.18/12/1935), (3ª Núpcias 06/06/1936) Alícia Tavares de Oliveira.


Pedro Rodrigues de Oliveira, a esposa Magdalena
Maria de jesus e a filha Maria Rodrigues de Oliveira 


Pedro Anjo, homem humilde de pouco estudo, como diziam homem da roça que “amava a terra, agricultor sempre e era bom de fazer contas”. Logo após seu casamento (Lv.1 Fls. 6 T. Nº12 do Reg. Civil de Avaré-SP), foi morar na Fazenda do Funil em São Sebastião da Tijuco Preto (hoje Piraju). Um ano depois compra em sociedade com o pai e irmãos esta propriedade. Mas não parou por aí, dois anos após já havia comprado toda a propriedade. Entre os anos de 1889 e 1903, absorveu tudo o que estava à venda em suas divisas.

Não era homem de grandes fortunas, porém trabalhou, fez empréstimos hipotecários, comercializou animais. Além de ter uma renda extra da olaria e do alambique que mantinha em sociedade com seu pai e irmãos.

Em 1904, permutou parte da sua fazenda no Funil para adquir a fazenda Cachoeira em Jacarezinho (foi o 1º “grupo familiar” dos Anjos a vir e se instalar).

Era eleitor convicto Republicano Político, entretanto não muito afeto a cargos públicos, contudo por influência dos amigos e do partido, acabou disputando as eleições para a função de Camareiro (atual Vereador). Assim exerceu nos anos de 1910 a 1912 o cargo de Camareiro na cidade de Jacarezinho.

Em 17 de fevereiro de 1931, por meio do Decreto-Lei n.º 292 do Estado do Paraná, Capitão da Guarda Nacional. Pedro Ângelo foi nomeado e tomou posse como 1º Suplente de Juiz de Direito da Comarca de Santo Antônio da Platina.


Em razão da grande fortuna que conquistou ao longo dos anos e sua atuação cidadã junto às cidades de jacarezinho e Santo Antônio da Platina, foi homenageado com o título de Coronel.

 
Como diziam, o Cel Pedro Anjo no entusiasmo “fazia coisa que até Deus duvidava”. Consta nos registros que ajudou na construção da Igreja Matriz, tanto com material, ornamentos e recursos financeiros, bem como na aquisição da imagem de Santo Antônio de Pádua, que hoje orna o alto da Matriz. Nesta época, contribuiu também para a construção da Santa Casa de Misericórdia de Santo Antônio da Platina. Instalou e fez operar o 1º sistema de água encanada para a cidade. Doou ao município, na vila São Pedro, uma propriedade onde a prefeitura instalou o Tiro de Guerra e construiu a Escola de Aplicação (Colégio Estadual Edith de S.P. Oliveira), constando clausula expressa no termo de doação para esta finalidade.

Pela Lei Municipal n.º 30/2004, o nome Pedro Anjo passou a fazer parte definitiva da história da cidade, sendo homenageado com o logradouro público intitulado: Avenida Pedro Rodrigues de Oliveira, rua esta que corta sua antiga Chácara da Aldeia, atual loteamento Jardim São Pedro II.

Cel. Pedro Anjo, ao longo da vida, em seus três casamentos teve ao todo 12 filhos, sendo eles: 1º matrimônio: 1- José Rodrigues de Oliveira, 2- Joaquim Rodrigues de Oliveira, 3- Antônio Rodrigues de Oliveira (+31/03/1892), 4- Francisco Rodrigues de Oliveira, 5- Antônio Rodrigues de Oliveira, 6- Ana Rodrigues de Oliveira, 7- Maria Rodrigues de Oliveira,; 2º matrimônio: 8- Dirce Rodrigues de Oliveira, 9- Adhemar Rodrigues de Oliveira, 10- Laly Rodrigues de Oliveira, 11- Clarisse Rodrigues de Oliveira (+19/01/1926), e 12- Terezinha Rodrigues de Oliveira. 

Viveu pela sua família, suportou com galhardia três inventários (duas fazendas para cada filho) e um testamento para sua última mulher”. - Adhemar Rodrigues de Oliveira Filho.



3.º (Geração)Antônio Rodrigues de Oliveira, (5º filho), nasceu em 27 de fevereiro de 1895, na cidade de Piraju – SP, casado (1ª Núpcias - 27/05/1916) com Eliza Leite da Conceição (fal. 25/04/1924), (2ª Núpcias -15/11/1924) Anna Maria do Espírito Santo (fal.18/02/1933), (3ª Núpcias 26/06/1933) Margarida de Carvalho.
Tonico Anjo, foi proprietário da fazenda Pau D’Alho.

Antônio Rodrigues de Oliveira, ao longo da vida, em seus três casamentos teve ao todo 18 filhos, sendo eles: 1º matrimônio: 1- Francisco Antônio de Oliveira, 2- Anna (+1918), 3- Maria (+1918), 4- Anice Eliza de Oliveira , 5- Azilda Rodrigues de Oliveira, 6- José Rodrigues de Oliveira, 7- Albertina Rodrigues de Oliveira; 2º matrimônio: 8- Aparecida Rodrigues de Oliveira, 9- Eurides Maria de Oliveira, 10- Olinda Rodrigues de Oliveira (+23/09/1929), 11- Alício Rodrigues de Oliveira (*18/11/1930 +20/08/1949), 12- Pedro de Oliveira, 13- José Antônio de Oliveira, 14- Lourenço Aparecido de Oliveira, 15- Antônio Rodrigues de Oliveira Filho, 16- Maria Madalena de Oliveira, 17- Manoel Rodrigues de Oliveira; 3º matrimônio: 18- Antônio Rodrigues de Oliveira.


"Lembro-me com muito carinho do tio Tonico. Pouco falante, mas seus olhos brilhavam quando me via ou a algum outro sobrinho. O sorriso, mais que largo, era como me cumprimentava, isso valia mais que todos os elogios e bênçãos que quisesse me dar.

Depois que o Neno nasceu (filho da Margarida) ele descia a rua Ruy Barbosa empurrando o carrinho do filho, todo orgulhoso." - Adhemar Rodrigues de Oliveira Filho.
 



4.º (Geração) - Maria Madalena de Oliveira, (16 filha), nasceu em 25 de novembro de 1943, na cidade de Jacarezinho – PR, casada com (1ª Núpcias - 03/04/1965) com Carlos Frederico Borges de Carvalho (divorciada), (2ª Núpcias -1974) Bernardino Jacaré Neto (Tike Sam).

Minha Mãe, mulher esforçada que soube dar o melhor para os seus filhos (Educação, Estudos e Amor), ao longo da vida, em seus dois casamentos teve ao todo 06 filhos, sendo eles: 1º matrimônio: 1- Milton Guaraci de Carvalho, 2- Carla Jurema de Carvalho, 3- Claudio Frederico de Carvalho; 2º matrimônio: 4- Rita de Cássia Jacaré, 5- Cesarina Jacaré (+09/04/1977), 6- Elizabete Dione Jacaré.

5.º (Geração) - Claudio Frederico de Carvalho (3º filho), nasceu em 14 de julho de 1969, na cidade de Curitiba -PR, casado com Viviane Guerra.

Inspetor Frederico, ingressou na carreira da Guarda Municipal em 19/03/1992, na função de Guarda Municipal de 3ª Classe. Foi promovido a Supervisor em 26/06/2000. Ascendeu a função de Inspetor em 14/07/2004. Comandou a Guarda Municipal de Curitiba entre janeiro de 2013 a dezembro de 2015.


Inspetor Frederico


Formou-se em Direito pela Universidade Tuiuti do Paraná, no ano de 1997. Atuou como Membro do Corpo de Jurados do 2º Tribunal do Júri de Curitiba (2007 a 2011). Exerceu a atividade de Conciliador no Núcleo de Conciliação do Fórum Civil da Comarca de Curitiba (2010 a 2011).
Atualmente é Membro da Comissão Própria de Avaliação da Escola da Magistratura do Paraná, Curitiba/PR, desde 2012.
Exerce a Tutoria nos cursos on-line da SENASP/EAD, desde 2010,
É Conselheiro da Associação dos Servidores Públicos do Estado do Paraná-ASPP, desde 2005.
Autor de algumas obras focadas nas áreas do Direito a da Segurança Pública Municipal.

Homenagens Militares:
Honra ao Mérito - Batalhão de Polícia do Exército de Brasília - Brasília – DF (15/05/90).
Diploma Águia - Titulo de Águia - 1ª Companhia de Polícia - BPEB - Brasília – DF (15/05/90).
Menção Honrosa - Polícia Militar do Paraná – Comando do Policiamento da Capital - Curitiba – PR (06/11/04).
Diploma “Colaborador Emérito do Exército” – Comando Militar do Sul (25/08/2013).
Diploma “Amigo do Vinte” – 20º Batalhão de Infantaria Blindado (20/10/2013).
Medalha “Batalhão Sargento Max Wolff Filho” – 20º Batalhão de Infantaria Blindado (03/10/2014).

Homenagens Civis:
Professor Homenageado representando o Departamento da Guarda Municipal de Curitiba, prestada pela XII Turma de Formação Guardas Municipais – Curitiba – PR (2004).
Paraninfo do Curso de Formação Técnico-Profissional para Guarda Municipal, Curitiba – PR (09/06/05).
Professor Homenageado, prestado pelos Alunos da XIV Turma de Formação Guardas Municipais – Curitiba – PR (2005).
Patrono do Curso de Formação Técnico Profissional da Primeira Turma da Guarda Municipal de Campo Largo – PR (17/12/08).
Voto de Louvor e Congratulações, face ao ato de bravura prestado a comunidade, em defesa do Patrimônio Público desta Capital - Câmara Municipal de Curitiba – PR (20/04/11).
Menção Honrosa – Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (29/11/2013).
Menção Honrosa – Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (16/06/2014).
Diploma de Reconhecimento – Grande Oriente do Paraná – GOP (08/10/2014).

6.º (Geração) - Lucas Frederico de Carvalho (filho único), nasceu em 28 de novembro de 1998, na cidade de Curitiba -PR.

(https://www.myheritage.com.br/site-family-tree-133186041/frederico)
***

Origem da família Oliveira
O sobrenome Oliveira tem sua origem em Portugal e foi um dos primeiros sobrenomes a começar a se popularizar por aqui, por uma razão simples de que o Brasil foi descoberto e colonizado por portugueses.
Ele é classificado como sendo um toponímico, ou seja, de origem geográfica uma vez que Oliveira seria a árvore que produz a azeitona (oliva). Em Portugual, o nome foi originado em Paço de Oliveira, na freguesia de Santa Maria de Oliveira, Arcos de Valdevez. O sobrenome identifica esta família devido ao fundador deste tronco familiar possuir uma vasta plantação do fruto.

Curiosidades

Inicialmente, a informação que se tem é que Pedro de Oliveira, foi o primeiro a utilizar este sobrenome, cujo filho D. Martim Pires de Oliveira, arcebispo de Braga, fez o Morgado de Oliveira, com seu irmão Mem Pires de Oliveira em 1306.
Dentre os Oliveiras da história, pode se notar a existência de muitos condes, viscondes, barões, marqueses, bispos e arcebispos.

Fonte: http://www.origemdosobrenome.com/familia-oliveira/


***
Agradecimento Especial

Este trabalho foi possível graças a dedicação de Adhemar Rodrigues de Oliveira Filho, grande pesquisador que conversou com quase todos os Rodrigues de Oliveira (vivos).
Ouviu muito "causo" e muita coisa de se registrar em um livro, e por que não dizer, uma maravilhosa obra, intitulada "Estudo Genealógico do Grupo Familiar de Ângelo Augusto Rodrigues de Oliveira – Achegas para a História da Família – Os Ângelos"




O autor consegue fazer com que o leitor viaje no tempo e possa deleitar do aroma da terra molhada, recém cortada com o fio da enxada.
Todos os membros da família Rodrigues de Oliveira, deveriam ter um livro desta natureza na cabeceira de sua cama.
Ler e ver as dificuldades e a força de vontade dos nossos desbravadores antepassados, é um verdadeiro refrigério para a nossa alma.
Parabéns meu querido primo pela brilhante pesquisa.

***

Fonte de Pesquisa:
1). Estudo Genealógico do Grupo Familiar de Ângelo Augusto Rodrigues de Oliveira – Achegas para a História da Família – Os Ângelos. Adhemar Rodrigues de Oliveira Filho.
2). https://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%A1s-os-Montes_e_Alto_Douro
3) http://www.origemdosobrenome.com/familia-oliveira/
4) Quem quiser saber mais sobre a linga história da Família Rodrigues de Oliveira, poderá adquirir um exemplar do livro de autoria de Adhemar Rodrigues de Oliveira Filho, através do site: 

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com