Páginas

22 junho 2010

Guarda Municipal prende três homens com drogas no Jardim Botânico


Guarda Municipal prende três homens com drogas no Jardim Botânico

A Guarda Municipal de Curitiba prendeu três homens e apreendeu seis adolescentes na madrugada de domingo (20). A operação foi desencadeada após uma solicitação de moradores por perturbação de sossego, na praça Abílio de Abreu, próximo ao Velódromo ao lado do Jardim Botânico. Cinco viaturas da Guarda Municipal foram até o local, por volta da 1 hora de domingo.
"Nossas equipes desconfiaram da atitude de tanta gente reunida lá naquela hora da madrugada e fizeram revistas em todos", afirmou o inspetor Claudio Augusto de Oliveira, da Guarda Municipal. No carro de um dos homens foram encontradas drogas, provavelmente maconha. Somente exames da Polícia Científica podem comprovar o tipo da substância.
Os documentos do veículo também estavam irregulares. Na conversa com os guardas, os adolescentes confirmaram que os homens ofereceram drogas e bebidas. A Guarda Municipal realizou o flagrante e chamou a Fundação de Ação Social (FAS) e o Conselho Tutelar para acompanhar os adolescentes, que tinham entre 12 e 17 anos.
Entre os jovens estavam um menino e cinco meninas. Todos foram encaminhados para o Ciac-Sul, anexo ao 8.º Distrito Policial no Portão. Os homens ficaram presos e existe a possibilidade de serem indiciados por posse de substância ilícita e aliciamento de menores. Os adolescentes foram ouvidos e encaminhados para abrigos pela FAS e pelo Conselho Tutelar.
A ação da Guarda foi feita pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) junto com viaturas da Regional Cajuru. 

GM prende homens oferecendo drogas a adolescentes

Curitiba

GM prende homens oferecendo drogas a adolescentes

Três homens e seis adolescentes foram detidos na praça Abílio de Abreu, ao lado do Jardim Botânico
  21/06/10 às 11:48  |  SMCS
A Guarda Municipal de Curitiba prendeu três homens e apreendeu seis adolescentes na madrugada de domingo (20). A operação foi desencadeada após uma solicitação de moradores por perturbação de sossego, na praça Abílio de Abreu, próximo ao Velódromo ao lado do Jardim Botânico. Cinco viaturas da Guarda Municipal foram até o local, por volta da 1 hora de domingo.

"Nossas equipes desconfiaram da atitude de tanta gente reunida lá naquela hora da madrugada e fizeram revistas em todos", afirmou o inspetor Claudio Augusto de Oliveira, da Guarda Municipal. No carro de um dos homens foram encontradas drogas, provavelmente maconha. Somente exames da Polícia Científica podem comprovar o tipo da substância.

Os documentos do veículo também estavam irregulares. Na conversa com os guardas, os adolescentes confirmaram que os homens ofereceram drogas e bebidas. A Guarda Municipal realizou o flagrante e chamou a Fundação de Ação Social (FAS) e o Conselho Tutelar para acompanhar os adolescentes, que tinham entre 12 e 17 anos.

Entre os jovens estavam um menino e cinco meninas. Todos foram encaminhados para o Ciac-Sul, anexo ao 8.º Distrito Policial no Portão. Os homens ficaram presos e existe a possibilidade de serem indiciados por posse de substância ilícita e aliciamento de menores. Os adolescentes foram ouvidos e encaminhados para abrigos pela FAS e pelo Conselho Tutelar.

A ação da Guarda foi feita pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) junto com viaturas da Regional Cajuru.

Presos aliciando menores para o consumo de drogas

22/06/2010 às 01:35:00 - Atualizado em 22/06/2010 às 18:05:51

Presos aliciando menores para o consumo de drogas

Janaina Monteiro e Fernanda Deslandes
Três homens foram detidos pela Guarda Municipal, na madrugada de domingo, suspeitos de aliciar seis adolescentes para consumo de drogas na Praça Abílio de Abreu, conhecida como a Praça da Escadaria, no Guabirotuba.
A operação da Guarda, segundo informações da prefeitura, foi desencadeada após solicitação de moradores por perturbação de sossego. Duas viaturas do Grupo de Operações Especiais (GOE) e três da viatura do Núcleo Cajuru atenderam à ocorrência por volta de 2h.

Deonizio Vachaski Henrique, 43 anos, Alexander da Cruz, 23, e Everton Schimitt Smaniotto, 22, foram encaminhados ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul), no Portão, onde foram autuados em flagrante por corrupção de menores, tráfico de drogas e associação para o tráfico. Horas depois, eles foram transferidos para a carceragem do 11.º Distrito Policial (CIC).

Consumo
De acordo com o inspetor Claudio Augusto de Oliveira, em conversa com os guardas, um dos adolescentes alegou ter consumido droga e bebida alcoólica oferecidos pelos adultos. O depoimento foi confirmado pelos jovens ao delegado José Vitor Silva Pinhão, que estava de plantão no Ciac-Sul.

Os adolescentes foram para a Fundação de Ação Social (FAS). Duas meninas de Fazenda Rio Grande e uma de Colombo foram encaminhadas por assistentes sociais do Conselho Tutelar até a casa dos pais.
O menino e outras duas meninas passaram a noite no abrigo Criança quer Futuro e também foram entregues aos pais na manhã de ontem por funcionários do Conselho Tutelar do Cajuru.

Aproximação

O inspetor conta que muitas vezes os próprios adolescentes se aproximam dos adultos para poder comprar bebida alcoólica e drogas. O aliciamento de menores é agravante em casos de tráfico de drogas, roubo, furto ou exploração sexual.
De acordo com a Secretaria Municipal de Defesa Social, em 2009, duas denúncias de aliciamento de menores foram registradas pela Guarda Municipal, no Bacacheri e no Cajuru. Em 2010,houve só uma denúncia, no São Francisco. Nos três casos ninguém foi preso, já que a denúncia não foi constatada.

07 junho 2010

Luciano Ducci anuncia delegado Michelotto na Defesa Social


Prefeitura Municipal de Curitiba
Secretaria Municipal da Comunicação Social

Luciano Ducci anuncia delegado Michelotto na Defesa Social


Publicado em: 07/06/2010 17:21:00
O prefeito Luciano Ducci anunciou nesta segunda-feira (7) que o delegado da Polícia Civil Marcus Vinícius Michelotto será o novo secretário municipal da Defesa Social, em substituição ao Coronel Itamar dos Santos. "O delegado Michelotto tem uma grande experiência na área de segurança e será um excelente reforço para a equipe da Prefeitura", disse Luciano Ducci.
Michelotto coordenava a Divisão Estadual de Narcóticos da Secretaria Estadual da Segurança Pública. "Vim para somar e acho que podemos trabalhar em sintonia com a área de segurança estadual", disse o novo secretário. "Minha forma de trabalhar é interagir com os policiais e agora com os guardas municipais. Conversar desde a chefia até a ponta. Minha experiência da Polícia Civil vai ajudar bastante na aproximação com a Guarda Municipal e quero manter o diálogo sempre."
Michelotto formou-se em bacharel de Direito na Universidade Federal do Paraná (UFPR), no ano de 1991. Em 1994 passou no concurso da Polícia Civil para delegado. Começou a carreira na delegacia de Mamboré, região de Campo Mourão.
Em 1995 foi para a delegacia de Foz do Iguaçu. Em Curitiba trabalhou como delegado titular no 5.º Distrito Policial (Bacacheri), no 9.º DP (Santa Quitéria) e no 10.º DP (Sítio Cercado). No ano de 1998 foi delegado titular da Delegacia de Furtos e Roubos, em 99 da Delegacia de Explosivos, Armas e Munições, no ano 2000 da Delegacia de Ordem Social.
Entre os anos de 2001 a 2003, Michelotto foi o delegado titular da Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo. Depois passou pela Delegacia de Delitos de Trânsito. Durante três anos, de 2003 a 2006, foi o delegado titular do Centro de Operações Especiais (Cope). No período de 2006 a 2009 comandou a Delegacia de Estelionato e Desvio de Carga, para depois ir para a Divisão Estadual de Narcóticos.


Notícia impressa em: 07/06/2010 23:15:58
(c) Prefeitura Municipal de Curitiba - www.curitiba.pr.gov.br

03 junho 2010

Guardas: Prefeitura e sindicato discutem ações de segurança

A Prefeitura de Curitiba recebe comissão de membro ...Publicado em 02/06/2010 às 17:18

Guardas: Prefeitura e sindicato discutem ações de segurança

A Prefeitura de Curitiba recebeu nesta quarta (2) uma comissão de membros do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) e da Guarda Municipal, para tratar da segurança dos guardas no trabalho.
A Prefeitura de Curitiba lamenta profundamente a morte do guarda Joel Franklin da Silva, ocorrida na noite desta terça, bem como outros casos recentes de violência contra guardas municipais.
A Prefeitura vai buscar soluções para evitar que os guardas no trabalho sejam vítimas da falta de segurança, conforme foi debatido na reunião.
O Sindicato também fará um levantamento para apontar medidas de segurança para os guardas.

Fonte: http://www.curitiba.pr.gov.br/publico/noticia.aspx?codigo=19590&Guardas:-Prefeitura-e-sindicato-discutem-ações-de-segurança

Morte expõe fraquezas da Guarda Municipal

Daniel Castellano / Gazeta do Povo
Daniel Castellano / Gazeta do Povo / O velório de Joel Franklin, ontem à tarde, no cemitério do Água Verde: protestos por mais condições de trabalho na Guarda MunicipalO velório de Joel Franklin, ontem à tarde, no cemitério do Água Verde: protestos por mais condições de trabalho na Guarda Municipal
VIOLÊNCIA

Morte expõe fraquezas da Guarda Municipal

Joel Franklin foi assassinado quando trabalhava no Parque Barreirinha, na noite de segunda-feira. Em um ano, cinco agentes foram mortos na cidade
Publicado em 03/06/2010 | ALINE PERES
A morte do guarda municipal Joel Franklin, 51 anos, encontrado baleado em frente à guarita onde trabalhava, no Parque Barreirinha, em Curitiba, no início da noite de segunda-feira, revoltou colegas e familiares e voltou a expor a fragilidade da corporação na cidade. Ele teria sido morto durante um assalto, já que teve a arma e o colete à prova de balas roubados. O caso será investigado pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR). Em um ano, foi o quinto assassinato de um guarda na capital.
Segundo investigadores da DFR, o agente foi abordado por dois homens que estavam em uma moto, por volta das 18 horas de segunda-feira. Os suspeitos teriam perguntado se havia algum guarda municipal no Parque Barrei rinha e Franklin teria respondido que ele fazia o trabalho. Quando uma viatura da Guarda chegou ao local, por volta das 19h30, o corpo de Franklin estava no chão. Ele foi baleado na cabeça e havia sinais de briga.
Crimes em série
Entre junho e novembro de 2009, cinco guardas municipais foram mortos em Curitiba:
16 de junho – O guarda municipal Renato César Rodrigues do Nascimento, 39 anos, é morto dentro de casa, na Rodovia dos Minérios. Três homens encapuzados teriam invadido a casa. Nascimento estava há 13 anos na Guarda Municipal.
12 de julho – O corpo do guarda municipal Mauro César Carvalho, 46 anos, é encontrado na Unidade de Saúde São José, no bairro Augusta. Ele trabalhava sem arma de fogo e teve o colete à prova de balas roubado.
24 de setembro – Um homem armado entra no Centro Municipal de Urgências Médicas da CIC, se dirige ao guarda municipal Aparecido José de Souza, 57 anos, e atira três vezes contra ele, na frente de 45 pessoas. Ele estava na Guarda há 15 anos.
15 de novembro – O guarda municipal Leocádio Suami de Melo e Silva, 59 anos, é morto com três tiros dentro da Escola Municipal Senador Enéas Faria, no bairro Cajuru, onde fazia a segurança.
Cerca de 150 guardas fizeram um protesto ontem pela manhã em frente à prefeitura. Segundo o Sindicato dos Servidores Mu nicipais de Curitiba (Sismuc), Franklin trabalhava sozinho no local e é comum o patrulhamento ser feito por apenas um servidor. Para o supervisor da Guarda Municipal, Laurizando Corte Filho, o caso mostra que é necessário implantar o trabalho em duplas. “O caso de Franklin de monstra falta de competência da administração atual em deixar um guarda trabalhar sozinho, sendo aquele lugar um local ermo, com mato”, afirma.
Más condições de trabalho
O guarda municipal Luiz Carlos Lima, 53 anos, conta que o amigo e colega morto não dispunha de rádio de transmissão, o celular não recebia sinal para ser usado e o telefone fixo só podia ser utilizado em ligações para outro número fixo. “Não há estrutura de trabalho”, critica Lima. Ele lembra ainda que os guardas costumam ficar cerca de uma hora desarmados, enquanto as armas são entregues por outros colegas.
Para Juliano Franklin, filho da vítima, o pai estava em um lugar muito vulnerável. Segundo ele, Franklin costumava comentar que não aprovava trabalhar sozinho, em um lugar tão extenso. O Parque Barreirinha tem 275 mil metros quadrados e ele estava há pouco mais de três meses no local.
Atualmente são 1.740 guardas municipais em Curitiba, para cuidar de 100 locais públicos administrados pela prefeitura, como postos de saúde, escolas e parques. A assessoria da prefeitura negou que eles trabalhem sozinho. Quando isso acontece, segundo a prefeitura, os agentes “ficam fechados em guaritas”, sem precisar fazer a segurança externa. A orientação é para que, ao observarem algo errado, peçam apoio por telefone ou via rádio.
Locais de risco
Representantes do Sismuc farão um levantamento dos locais de maior risco para o guardas mu nicipais na cidade. Amanhã eles deverão se reunir com representantes da prefeitura para debater medidas que au mentem a segurança dos profissionais. Uma das reivindicações da categoria é a saída do atual secretário municipal da Defesa Social, Itamar dos Santos.
“Há algum tempo pedimos mais segurança para a Guarda Muni-cipal e não fomos atendidos”, diz a presidente do Sismuc, Marcela Alves Bomfim. Segundo ela, outros pedidos serão para os guardas trabalharem em duplas e para melhorar o treinamento dos agentes. O supervisor da Guarda Mu nicipal de Curitiba, Laurizindo Corte Filho, considera deficiente a capacitação dos guardas. Atual­mente são 600 horas de cursos. “O ideal seriam 800 horas. A Polícia Militar oferece treinamento de um ano”, diz. Os cursos são dados em convênio com a escola da Polícia Civil com a Academia de Polícia Militar, no Guatupê.
O corpo de Franklin (que deixou cinco filhos e uma neta) foi enterrado ontem à tarde no Cemitério Água Verde. No local mais alto do cemitério, centenas de guardas fardados, amigos e familiares se aglomeraram em torno do túmulo. Houve discurso, continências e aplausos em virtude dos 16 anos de atuação como profissional da Guarda Municipal.

Guardas municipais protestam contra morte de colega

02/06/2010 às 13:27:10 - Atualizado em 02/06/2010 às 14:21:42

Guardas municipais protestam contra morte de colega

Rodrigo Feres
Daniel Caron

Aproximadamente cem guardas municipais protestaram na manhã desta quarta-feira, em frente à Prefeitura de Curitiba. Os manifestantes deixaram o Quartel General da Guarda Municipal, ao lado do Passeio Público, e caminharam até a Prefeitura fazendo muito barulho pelo caminho.
O protesto é pela morte de Joel Franklin, 45 anos, assassinado na noite de ontem, no Parque da Barreirinha. Esta foi a quinta morte de um colega de trabalho no período de um ano em Curitiba.
O guarda trabalhava sozinho e a polícia suspeita de latrocínio, já que o colete e a arma de Joel foram levados do local. Funcionários da Sanepar trabalhavam no local no momento do crime e viram uma moto, ocupada por dois homens, deixando o parque.
A categoria exige mais segurança no ambiente de trabalho. "Solicitamos algo simples: que os guardas não trabalhem sozinhos nos postos, que seja ao menos em dupla. Já solicitamos isso em outras reivindicações", disse o guarda Juliano Rocha, que esperava ser recebido por alguém da Prefeitura, mas não foi atendido.

Onde Encontrar os Livros? Clik no Banner

Fale Conosco

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Cidade
Estado



http://www.linkws.com